E-mail
Assine já!
Notícias Unisite

09/04/2005 - 07:51:57

Concurso para assistente social do Tribunal de Justiça tem 120 inscritos
As vagas serão distribuídas entre as comarcas que pertencem à 30ª Circunscrição Judiciária, que inclui Tupã, Adamantina, Lucélia, Osvaldo Cruz e o Foro Distrital de Bastos.
ALTERA O
TAMANHO DA LETRA








120 candidatos disputarão as sete vagas oferecidas para assistente social no concurso público do Tribunal de Justiça de São Paulo. De acordo com as informações, as vagas serão distribuídas entre as comarcas que pertencem à 30ª Circunscrição Judiciária, que inclui Tupã, Adamantina, Lucélia, Osvaldo Cruz e o Foro Distrital de Bastos. O candidato aprovado que vier a ser admitido estará sujeito à jornada completa de trabalho, de 40 horas semanais, percebendo salário e demais vantagens num total de R$ 3.012,15, mais auxílios alimentação, saúde e transporte.



De acordo com o juiz Reynaldo Mapelli, diretor do Fórum da Comarca de Tupã e presidente da Comissão Examinadora, as provas escritas serão realizadas no próximo dia 17, às 8h30 (horário de apresentação) e às 13h30 (horário de apresentação), para a entrega de títulos, na Escola Superior de Educação Física da Alta Paulista (Esefap), na rua Mandaguaris, 274. Ele informa que o candidato só poderá realizar a prova na respectiva data e no local constante no edital de convocação, no Cartão de Convocação e no site da Fundação Vunesp.



Segundo Mapelli, não haverá segunda chamada ou repetição de prova e candidato não poderá alegar qualquer desconhecimento sobre a realização da prova como justificativa de sua ausência. Também não haverá segunda chamada para a entrega dos títulos, qualquer que seja o motivo de impedimento do candidato que não apresentou os títulos no dia determinado.



O juiz alerta também que o não comparecimento às provas escritas, qualquer que seja o motivo, caracterizará desistência do candidato e resultará na sua eliminação da prova seletiva. Já com relação aos eventuais erros de digitação verificados no Cartão de Convocação enviado ao candidato, quanto a nome, número de documento de identidade, sexo, data de nascimento, endereço etc, deverão ser corrigidos somente no dia das provas escritas, em formulário específico.



O juiz informa ainda que somente será admitido à sala de provas o candidato que apresentar documento original que o identifique devidamente, incluindo Carteiras e/ou Cédulas de Identidade expedidas pelas Secretarias de Segurança Públicas, pelas Forças Armadas, pela Polícia Militar e pelo Ministério das Relações Exteriores; Carteiras Profissionais, fornecidas por Órgãos ou Conselhos de Classes, que por Lei Federal valem como documento de identidade, como por exemplo, as do CREA, OAB, CRM etc; Carteira de Trabalho e Previdência Social, bem como a Carteira Nacional de Habilitação (com fotografia) na forma da Lei nº. 9.503 de 16.09.1997.

Os documentos deverão estar em perfeitas condições, de forma a permitir com clareza, a identificação do candidato. O presidente da Comissão Examinadora do concurso lembra que não será aceita Carteira Funcional que não possua validade como documento de identidade. No dia da prova o candidato deverá comparecer ao local designado com pelo menos 30 minutos antes do horário previsto e munido de caneta esferográfica de tinta azul ou preta, lápis preto nº 2 e borracha.



Ele revela ainda que não serão computadas questões não assinaladas, questões que contenham mais de uma resposta, emenda ou rasura, ainda que legível. O candidato somente poderá deixar o local da prova após 1 hora do seu início, levando apenas a tira de gabarito para futura conferência. Já o caderno de questões será entregue apenas para os candidatos que se retirarem do local 2 horas após o início das provas, que estarão disponibilizadas no site www.vunesp.com.br.



Será excluído da prova seletiva o candidato que se apresentar após o horário estabelecido; não comparecer às provas escritas seja qual for o motivo alegado; não apresentar o documento de identidade que bem o identifique; ausentar-se da sala de provas sem o acompanhamento do fiscal ou antes de decorrida uma hora do início das provas; for surpreendido em comunicação com outras pessoas ou utilizando-se de livros, notas, calculadoras ou impressos não permitidos; estiver portando ou fazendo uso de qualquer tipo de equipamento eletrônico de comunicação (pagers, celulares, etc); estiver portando armas; lançar de meios ilícitos para a execução das provas; perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos. Mapelli finaliza ressaltando que em hipótese alguma haverá vista ou revisão de prova em qualquer das formas de avaliação, nas diferentes fases da prova seletiva, seja qual for o motivo alegado.

Redação