E-mail
Assine já!
Notícias Unisite

03/05/2017 - 08:56:39

Câncer Bucal
Campanha de Prevenção e Diagnóstico Precoce de Câncer Bucal
ALTERA O
TAMANHO DA LETRA



A Prefeitura de Tupã, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, está desenvolvendo a Campanha de Prevenção e Diagnóstico Precoce de Câncer Bucal. A ação, que é realizada anualmente, ocorrerá no mesmo período da Campanha Nacional de Vacinação Contra Gripe, que neste ano está sendo realizado entre os dias 17 de abril a 26 de maio.

De acordo com a dentista e coordenadora da Divisão Odontológica, Isabel Forte, os trabalhos têm por objetivo promover o diagnóstico precoce dos casos de câncer bucal, o que amplia as probabilidades de cura.

“A campanha de prevenção é realizada simultaneamente à campanha vacinação contra gripe porque ela prioriza a população com mais de 60 anos, que é a faixa etária que apresenta maior incidência de câncer bucal. Interligando as duas campanhas, estamos facilitando o acesso da população ao exame bucal”, explicou.

Para sensibilizar a população a participar da campanha, a Secretaria Municipal de Saúde realizará o “Dia D” de prevenção ao Câncer Bucal, realizando exames bucais no próximo dia 13 de maio, sábado, em todas as unidades de saúde da rede básica.

Isabel destacou ainda que o trabalho preventivo contra o câncer bucal será desenvolvido em todas as Unidades Saúde da Família (USFs) e Unidades Básicas de Saúde (UBSs), mobilizando toda a equipe odontológica do município formada por dezenas de dentistas e ACDs.

“Caso seja constatada alguma suspeita, o paciente será orientado a retornar para realizar novos exames e iniciar o acompanhamento. Devido à importância dessa campanha de prevenção, pedimos a toda população que for tomar a vacina da gripe, que passe também pelo dentista para fazer uma avaliação de sua saúde bucal. É importante ressaltar que o câncer bucal tem cura, principalmente se for diagnosticado precocemente”, frisou.

Além de ampliar os exames de saúde bucal, Segundo Isabel, a Secretaria Municipal de Saúde também estará realizando orientações, com dicas sobre como proceder ao auto-exame de saúde bucal, além de informações sobre cuidados e higiene da boca e próteses.

Câncer bucal

A coordenadora da Divisão Odontológica alertou que o câncer bucal é mais silencioso e, justamente por isso, mais perigoso. Ainda assim, é uma doença que tem cura, principalmente se for diagnosticado precocemente.

Segundo Isabel, além de evitar o fumo e o álcool e promover a higiene bucal, para prevenir a doença é fundamental realizar consulta odontológica de controle a cada ano e manter uma dieta saudável, rica em vegetais e frutas.

“O câncer de boca é uma denominação que inclui os cânceres de lábio e de cavidade oral, que abrange mucosa bucal, gengivas, palato duro, língua oral e assoalho da boca. O câncer de lábio é mais frequente em pessoas brancas, e registra maior ocorrência no lábio inferior em relação ao superior, aumento a incidência em pacientes com muita exposição aos raios solares sem proteção. O câncer em outras regiões da boca acomete principalmente as pessoas acima de 40 anos, aumentando-se a incidência em pacientes que tem vício de fumar e consumir bebidas alcoólicas. A má higiene bucal e uso de próteses dentárias mal ajustadas também contribuem para o surgimento da doença”, explicou.

Sintomas

De acordo com a dentista Isabel, o principal sintoma deste tipo de câncer é o aparecimento de feridas na boca que não cicatrizam em uma semana. Outros sintomas são ulcerações superficiais, com menos de 2 centímetros de diâmetro, indolores (podendo sangrar ou não) e manchas esbranquiçadas ou avermelhadas nos lábios ou na mucosa bucal.

Já sintomas mais graves como dificuldade para falar, mastigar e engolir, além de emagrecimento acentuado, dor e presença de linfadenomegalia cervical (caroço no pescoço) são sinais de câncer de boca em estágio avançado.

“O tratamento do câncer de boca inclui cirurgia ou radioterapia que são realizadas isoladas ou associadamente. Para lesões iniciais, tanto a cirurgia quanto a radioterapia tem bons resultados e sua indicação vai depender da localização do tumor e das alterações funcionais provocadas pelo tratamento, que possibilita a cura em cerca de 80% dos casos.