E-mail
Assine já!
Notícias Unisite

17/04/2015 - 12:57:29

NOTÍCIAS DA SEMANA - 17.04.2015

ALTERA O
TAMANHO DA LETRA


1. A queda dos preços das commodities agrícolas e minerais tem afetado países que em anos anteriores ‘surfaram’ nos altos preços e exportações como Brasil e Austrália. Infelizmente no caso brasileiro, o setor industrial combalido pela falta de competitividade de anos de cambio supervalorizado e pelo ‘Custo Brasil’ que não para de crescer, não foi capaz de ocupar este espaço, com as exportações brasileiras sofrendo a maior queda entre 30 países. Hoje a exportações da Suíça com a população do Rio, supera as do Brasil. (EstadaoDigital)

2. A Bunge, gigante trading graneleira e a empresa Salic, estatal agrícola da Arábia Saudita compraram 51% da empresa graneleira canadense CWB. Esta estranha associação de uma empresa familiar com origens judaicas e uma estatal árabe demonstra que a cooperação econômica é possível mesmo quando diferenças tão profundas existem. Os Sauditas conseguem assim garantir o fornecimento de alimentos e rações animais enquanto os Argentinos-Brasileiros garantem o acesso ao mercado canadense de grande potencial. (Agrimoney)

3. Em Gaza pouco mudou mesmo depois da guerra de 2014. O grupo terrorista Hamas que domina o território palestino, aproveita todo o cimento que pode importar para construir e reforçar túneis de ataque a Israel, utilizando boa parte do dinheiro estimado em milhões de dólares, para este fim e o de produzir mísseis de curto alcance de tecnologia iraniana para disparar contra Israel. As 17 mil casas destruídas pela guerra de 2014 continuam sem serem construídas, deixando a população em campos de refugiados da ONU assim como as ruas que continuam destroçadas, cheias de lama e foco de doença para crianças. Por tudo isso Israel não confia nas promessas nucleares iranianas. (DailyTelegraph)

4. A Apple anunciou que irá promover na 1ª semana de Junho sua conferencia anual de desenvolvimento de novos produtos. Pela grafia do desenho que promove o evento parece que um dos novos produtos a serem apresentados é a esperada redesenhada AppleTV. (BI Tech)

5. A revista eletrônica da renomada escola de pós-graduação de administração Wharton da Universidade da Pensilvânia, publica esta semana boa analise da crise da Petrobras. Dois professores, Felipe Monteiro e William Burke-White discutem o problema sem censura. A conferir:http://knowledge.wharton.upenn.edu/article/the-petrobras-scandal-will-brazil-sink-deeper-or-emerge-stronger/ (Knowldge@Wharton)

6. O Departamento de Energia dos EUA revelou estudo e previsão de que em 2020 o país será um exportador de energia. Prevê também que o país deverá cessar as importações de petróleo talvez até em 2019, com uma produção de 10.6 milhões de barris/dia. (O Brasil produz cerca de 2.2 milhões) (BI Opening Bell)

7. Apesar da Índia ser o segundo maior produtor de açúcar depois do Brasil, a Tailandia se torna um novo e maior concorrente nosso, batendo seu recorde de exportação e alcançando o 2º lugar. Deve exportar 8.8 milhões de toneladas acirrando ainda mais a guerra de preços com o Brasil.O país deve produzir 11.6 milhões de toneladas, fruto do incentivo do governo em trocar a produção de arroz por açúcar. A Tailândia aproveita a sua proximidade da China, grande consumidor, com um diferencial de frete de quase 50% mais barato. O Brasil deve produzir 37.5 milhões de toneladas e exportar 20.8 milhões de toneladas. (Agrimoney)

8. Colocar crianças ou cães em propaganda continua fazendo sucesso em todo o mundo. Depois do sucesso novamente da Budweiser no Superbowl agora é a vez da KLM, companhia aérea da Holanda que usa um cão da raça Beagle chamado de Sherlock para devolver itens perdidos em seus vôos. O anuncio já foi visto por quase 20 milhões de acessos no YouTube.(https://www.youtube.com/watch?v=NK-T_t166TY)(BrandChannel)

9. Novos tremores no mercado financeiro com a possibilidade cada vez mais próxima do ‘default’ (calote) da Grécia. Enquanto os títulos da Alemanha batem o recorde de queda nos juros para 0,07% de 10 anos, a Standard & Poors rebaixou os títulos gregos para ‘junk’ (a pior possível, com alta chance de calote) que estão pagando 21.7%. O ministro das finanças alemão avisa que não fará mais concessões e o grego rebate que o povo não suporta mais sacrifícios e começa a separar US$ 2.7 bilhões que teria que pagar ao FMI em Maio-Junho para pagar suas despesas públicas. Está desenhada a saída da Grécia do Euro abrindo caminho para outras economias com problemas – Portugal, Espanha, Irlanda e até Itália. (BachartMorningCall)

10. O Japão voltou a ser o maior detentor das T.Bills (títulos do tesouro americano com US$1.92 trilhões em suas reservas. A China agora é a segunda com US$ 1.22 trilhões e o Brasil fechou em 2014 em 4º lugar com US$ 256 bilhões, a frente da Suíça e logo atrás da Bélgica. (Deve ser isto que ainda mantem a classificação de risco do país inalterada...) (BI Opening Bell)

11. O Apple Watch continua despertando diferentes expectativas no mercado – as pré-vendas de 2.3 milhões de unidades antes do dia 24/4 já são um recorde. As vendas dos smartwatches em 2014 foi de pouco mais de 700mil unidades, menos que 1 dia de pré-venda do lançamento da Apple. Uma pesquisa da Goldman colocando os tradicionais contra esta novidade mostrou que pelo menos em New York muitos consumidores querem experimentar esta novidade. Será uma canibalização do relógios tradicionais? (BI Tch)

12. A Land Rover está criando uma nova divisão chamada ‘Heritage’ (Herança Cultural) para dar suporte aos consumidores de seus modelos mais antigos. Este ano será o ultimo do modelo Defender e a divisão irá produzir e disponibilizar partes para os modelos mais antigos valorizando assim a marca e o valor de revenda destes veículos. (BusinessInternational)

13. Cresce a importância do Agronegocio no Brasil com o valor da produção de 2015 estimada em R$482 bilhões, a maior até hoje. O setor de carnes lidera a alta com 4.4% (bovina 11.6%), trigo 6.7%, enquanto feijão, soja e café crescem entre 3% e 2%. Cada Real do Agronegocio gera um multiplicador 5 na economia nacional ou seja R$ 2.5 trilhões dependem do setor. Este valor poderá ser o equivalente a quase 30% do PIB nacional que deve sofrer uma retração de até 2% em 2015 – principalmente na Indústria e no Consumo das Famílias. (AgroLink)

Roberto Musatti - Economista (USP), Mestre em Marketing (Michigan State) e Professor da Reges