E-mail
Assine já!


















Zinco é um forte aliado dos atletas
  


Foto: Agência Notisa

          Embora o mineral proteja o organismo contra os radicais livres produzidos durante exercícios intensos, a dieta de desportistas nem sempre contém quantidade adequada dessa substância.



          O zinco é um forte aliado dos atletas, principalmente daqueles que realizam intensas atividades aeróbicas, como correr, pedalar e nadar. Durante os exercícios, o metabolismo energético fica acelerado e ocorre a formação de espécies reativas de oxigênio. Esses radicais livres podem causar lesões musculares e danos na membrana das células. Para evitar esses problemas, o organismo conta com mecanismos antioxidantes, cujo funcionamento, muitas vezes, depende da ação do zinco. O problema é que, em geral, a ingestão diária desse mineral pelos atletas é insuficiente. E, para piorar a situação, em resposta aos exercícios, a excreção de zinco pelo suor fica aumentada. É o que revela artigo assinado por duas pesquisadoras da Universidade do Estado do Rio de Janeiro: Josely Koury, do Departamento de Nutrição Básica, e Carmen Donangelo, do Laboratório de Bioquímica Nutricional e de Alimentos.

          De acordo com o artigo, publicado na edição de outubro-dezembro da Revista de Nutrição, “na atividade física intensa, há um aumento de 10 a 20 vezes no consumo total de oxigênio do organismo e um aumento de 100 a 200 vezes na captação de oxigênio pelo tecido muscular, favorecendo o aumento da produção de espécies reativas de oxigênio”. Esses radicais livres atacam as principais classes de moléculas que formam o corpo humano. Os lipídeos, abundantes nas membranas celulares, são os mais suscetíveis aos ataques. Para manter a integridade e a funcionalidade das membranas, é fundamental a função que o zinco desempenha no organismo. Pesquisas têm demonstrado que, devido à deficiência desse mineral, a membrana dos glóbulos vermelhos do sangue se torna mais frágil. “O zinco é um nutriente com papel biológico essencial nos mecanismos de proteção antioxidante, principalmente nos relacionados às membranas celulares, bastante requisitados durante a atividade física intensa”, dizem Josely e Carmen no artigo.

          No entanto, os efeitos benéficos do zinco podem ficar limitados por causa de uma alimentação inadequada. “Os atletas geralmente consomem quantidade de zinco na dieta insuficiente para compensar as perdas aumentadas pelo suor e urina e para atender a elevada demanda bioquímica”, alertam as pesquisadoras no artigo. A ingestão diária recomendada de zinco é de oito miligramas para mulheres e de 11 miligramas para homens. Suplementos alimentares poderiam ser usados para enriquecer a dieta com zinco. Mas é preciso cuidado para não exagerar na dose. Zinco em excesso inibe a absorção de cobre, outro mineral importante para que o corpo funcione corretamente.

Fonte:Agência Notisa
www.notisa.com.br

 


Voltar

Copyright UNISITE - Todos os direitos Reservados - Nota Legal